exposições temporárias . O Papel dos Aerogramas

 
  O Papel dos Aerogramas


A exposição temporária O Papel dos Aerogramas insere-se no projecto educativo O Despertar do Museu a Novos Públicos, co-financiado pelo FEDER, tendo por objectivo trazer ao museu públicos diversificados.
Aerogramas

Esta exposição dá a conhecer o papel dos aerogramas, enquanto suporte de escrita durante a Guerra Colonial, valorizando, simultaneamente, a sua importância como transmissores de solidariedade e de calor humano num cenário de guerra.

 

Exposição O Papel dos Aerogramas.
Exposição
O Papel dos Aerogramas.



Para a abertura da exposição, em 26 de Novembro de 2005, realizou-se um seminário que contou com a presença dos investigadores Dr. Luís Moreira Barreiros e Dr. Eduardo Moreira Barreiros, através de uma apresentação sobre A História do serviço Militar, da presença do responsável científico do Museu da Guerra Colonial, Dr. José Manuel Lages, com uma comunicação sobre o tema Guerra Colonial: suportes em papel nas várias formas de comunicar, e por fim, da participação da Directora do Museu do Papel, Dra. Maria José Santos, que ao desenvolver o tema Aerogramas: marcas de água e papel como suporte de escrita, deu um contributo para a reflexão sobre a História do Papel em Portugal, a partir das marcas de água contidas nos aerogramas militares.

 

Sessão de abertura do Seminário: O Papel dos Aerogramas no contexto da Guerra Colonial.
Sessão de abertura do Seminário
O Papel dos Aerogramas no contexto da Guerra Colonial.


A sessão de abertura e encerramento foram proferidas, respectivamente, pelo Sr. Presidente da Câmara Municipal de Santa Maria da Feira e pelo Sr. Vereador do Pelouro da Educação, Cultura, Desporto e Juventude.

O seminário O Papel dos Aerogramas no contexto da Guerra Colonial contou com a presença de um elevado número de ex-combatentes da guerra colonial, oriundos de diferentes regiões do país, e da representação de várias Associações Nacionais de Ex-Combatentes, do Presidente da Associação dos Deficientes das Forças Armadas, e do Presidente da Direcção Central da Liga dos Combatentes, General Chito Rodrigues.

 

Seminário: O Papel dos Aerogramas no contexto da Guerra Colonial.
Seminário
O Papel dos Aerogramas no contexto da Guerra Colonial.


A exposição O Papel dos Aerogramas, contextualiza os aerogramas no cenário da guerra colonial e, simultaneamente, revela a beleza das marcas de água desses papéis que, dobrados sobre si mesmos, guardaram promessas de amor, angústias ou sonhos e, tantas vezes, fantasmas e medos.

As marcas de água constituem em si mesmas informações preciosas, quer a nível de referência às fábricas produtoras quer a nível das gráficas onde foram impressos os aerogramas, ou seja, este estudo constitui igualmente um contributo para a História do Papel em Portugal e das Marcas de água Portuguesas no século XX.

Marcas de água

Integram esta exposição dezasseis aerogramas – dos quais, quatro aerogramas não militares –, seleccionados de um universo de cerca de quinhentos aerogramas.

Grande parte destes aerogramas chegaram ao museu pelas mãos de ex-combatentes da guerra colonial, ou familiares, salientando-se o depósito de trezentos aerogramas pertencentes a uma colecção privada, propriedade do Dr. Marcelo Marques de Paços de Brandão.

Aerograma militar, papel cor azul, 40g, marca de água ORBIS.

Aerograma não militar com litografia “a apanha do café”, 40g.
Aerograma militar, papel cor azul, 40g, marca de água ORBIS. Aerograma não militar com litografia “a apanha do café”, 40g.


Após o estudo e levantamento das marcas de água, foram identificadas as fábricas de papel que, entre 1961 e 1974, produziram papéis de 40g, azuis e amarelos, para aerogramas. Entre elas, a Fábrica de Papel da Lousã da Companhia de Papel do Prado, fundada em 1714, a Fábrica de Papel de Azenha, Sandim, Vila Nova de Gaia, fundada em 1962, e a Fábrica de Papel da Abelheira, Tojal, Loures, fundada em 1841, no lugar do antigo moinho de papel de 1755 dos frades de S. Vicente de Fora.


Aerograma militar, papel cor azul, 40g, marca de água PRADO BOND Aerograma militar, papel cor amarelo, 40g, marca de água EXTRA AZENHA/ PORTUGAL
Aerograma militar, papel cor azul, 40g, marca de água PRADO BOND Aerograma militar, papel cor amarelo, 40g, marca de água EXTRA AZENHA/ PORTUGAL


Com o fim da Guerra Colonial, encerra-se um período que marcou profundamente os Portugueses ao longo de treze intermináveis anos.
Em folhas de papel cor pálida, dia a dia, a saudade foi lida e contada. Na intimidade, medo, angústias e promessas de amor foram guardados.
Histórias vivas, que de tão guardadas, permanecem.

 




Forminhas




procurar no site
mudar papel
papel 1 papel 2 papel 3 papel 3
aumentar letra
Diminuir letra Aumentar letra
destaque
XII Congresso Internacional Historia Del Papel

agenda do museu